De prefeito para prefeito: como transformar a vida de uma cidade

Em setembro de 2015 os prefeitos brasileiros terão uma oportunidade única para trocar experiências com alguns dos maiores gestores e líderes municipais do mundo. Os ex-“super”-prefeitos Ken Livingstone, de Londres; Enrique Peñalosa, de Bogotá; e Jaime Lerner, de Curitiba, estarão no Rio de Janeiro para contar a trajetória de transformações ousadas que impactaram positivamente o futuro de suas cidades e a vida de milhões de pessoas. Outros dois grandes nomes estão em fase de confirmação: Michael Bloomberg, ex-prefeito de Nova Iorque, e Joan Clos, de Barcelona.

O encontro faz parte da programação dos 10 Anos da EMBARQ Brasil que abrange a Cúpula de Prefeitos e o Congresso Internacional Cidades & Transportes, em setembro, além de outras atividades. Os detalhes podem ser acessados na página oficial www.cidadesetransportes.org, onde há atividades programadas, agenda preliminar, informações sobre inscrição e mais.

A Cúpula de Prefeitos acontece no dia 9 de setembro, no Rio, e colocará nossos atuais prefeitos frente a frente com estas três lideranças que, com vontade e coragem política, trabalharam por uma nova realidade em seus municípios e viraram ícones do desenvolvimento sustentável centrado nas pessoas. Abaixo, acompanhe os principais momentos da trajetória de sucesso de cada um deles:

 

Ken Livingstone e o pedágio urbano

(Foto: Overseas Development Institute/Flickr)

Cobrar para que as pessoas andem com seus carros parece um motivo para uma boa briga, não é mesmo? Livingstone foi decisivo e mostrou que o resultado pode ser bom para todos.

Tirar os carros da rua melhora a qualidade do ar, a segurança dos pedestres e ciclistas e alivia congestionamentos, criando saldos positivos para toda a população. Mas como cumprir essa tarefa com êxito? Para as cidades mais congestionadas, a resposta pode ser o pedágio urbano, ou seja, cobrar dos automóveis para que circulem em determinadas regiões e durante alguns horários.

Em 2003, enquanto prefeito, Livingstone adotou essa estratégia ignorando a oposição de grande parte da população. Os resultados foram bons para todos e a medida ganhou altos índices de aprovação. O transporte coletivo, por exemplo, recebeu 569,5 milhões de reais em 2010, receita advinda do pedágio, e os investimentos na sua melhoria garantiram 14% mais usuários. A quantidade de ônibus aumentou 25% e o tempo de viagem decaiu em 20%, em média.

Um balanço de dez anos da implantação do pedágio urbano mostra que a população migrou para o transporte coletivo e ativo, com 59,7% mais viagens de ônibus, 42% de metrô e 66% mais deslocamentos de bicicleta.

 

Enrique Peñalosa e uma cidade mais justa

(Foto: Colin Hughes/Flickr)

"Uma cidade avançada não é aquela em que os pobres andam de carro, mas aquela em que até os ricos usam o transporte público.”

A emblemática frase dita pelo ex-prefeito de Bogotá simboliza o ideal de cidades equitativas, acessíveis e com qualidade de vida a seus residentes. Enquanto gestor público, por três anos, Peñalosa liderou uma transformação nessa direção que foi reconhecida mundialmente.

Entre ações para a qualificação da mobilidade urbana, Peñalosa implantou o sistema BRT (Bus Rapid Transit) TransMilenio, que hoje transporta 2,2 milhões de pessoas por dia em 113 km de corredores de ônibus. Ele também liderou uma revitalização em ampla escala de espaços públicos e parques urbanos, construiu mais de 350 km de ciclovias protegidas, implantou milhares de metros quadrados de calçadas. Graças a sua convicção de que a espinha dorsal das cidades são as pessoas, não os automóveis, hoje Peñalosa é um dos grandes porta-vozes mundiais sobre cidades para pessoas e mobilidade sustentável.

 

Jaimer Lerner, o “pai” do BRT

(Foto: International Transport Forum/Flickr)

Uma ideia ousada mudou a realidade de uma cidade inteira.

Curitiba é mundialmente conhecida por ser a cidade mais sustentável da América Latina e também o berço dos sistemas BRT (Bus Rapid Transit). Quando o arquiteto e urbanista Jaime Lerner assumiu a gestão da capital, pela primeira vez, na década de 70, criou uma série de políticas públicas e infraestruturas para apoiar o desenvolvimento sustentável e orientado ao transporte.

Lerner investiu no BRT. Para ele, Curitiba carecia de um transporte rápido, de alta capacidade, mas que ao mesmo tempo se encaixasse em seu orçamento. A ideia? “Metronizar” o ônibus. Introduziu corredores exclusivos num sistema troncal, com pré-pagamento, ônibus alimentadores e as icônicas “estações-tubo”. Mais de 40 anos depois, seu exemplo seria seguido 189 cidades do mundo inteiro, atendendo mais de 31 milhões de pessoas por dia.

A visão de Lerner colocou Curitiba em um novo patamar econômico e de qualidade de vida. De 1975 a 1995, o PIB de Curitiba esteve 75% acima do PIB do estado do Paraná e 48% além do brasileiro. Paralelamente, a capital viu sua produtividade econômica crescer ao mesmo tempo em que a quota modal se firmava como a mais sustentável entre 15 cidades da América Latina: 42% dos deslocamentos são feitos e a pé e de bicicleta e 28% de transporte público, com somente 4,2 mortes no trânsito por 100 mil habitantes (em comparação com uma média de 9,6 na região).


Lerner, Livingstone e Peñalosa são os três líderes icônicos já confirmados para compor a Cúpula de Prefeitos, que acontecerá no dia 9 de setembro, no Rio de Janeiro. “Os líderes e as temáticas abordadas nos eventos dos 10 anos da EMBARQ Brasil devem inspirar nossos prefeitos a investir em projetos voltados para o desenvolvimento sustentável. Histórias inspiradoras, de gestores públicos que enfrentaram obstáculos poderosos e hoje são reconhecidos internacionalmente, mostram que vale a pena enfrentar a oposição e o ceticismo quando está em pauta o interesse da sociedade no investimento em desenvolvimento sustentável”, pontua a diretora de Relações Estratégicas & Desenvolvimento da EMBARQ Brasil, Rejane Fernandes.

Já o Congresso Internacional Cidades&Transporte, nos dias 10 e 11 de setembro, aborda seis grandes temáticas que devem se consolidar na agenda política para que os municípios cresçam preparados para o futuro. São elas: Vulnerabilidade, Resiliência e Adaptação; Políticas Públicas Inovadoras; Transporte Sustentável e Mobilidade; Novas Tecnologias; Desenvolvimento Sustentável Urbano; e Equidade Econômica.

Os 10 anos da EMBARQ Brasil acontecem no momento em que as cidades brasileiras vêm desenvolvendo projetos de mobilidade urbana sustentável, contam com recursos do PAC para torná-los realidade, e estão desenvolvendo seus planos de mobilidade urbana, previstos pela Política Nacional de Mobilidade Urbana. A nova legislação é uma chance de reverter a lógica centrada no carro para as pessoas. A celebração coincide também com os 450 anos do Rio de Janeiro, que é um parceiro-chave para a concretização deste evento.

Acesse www.embarqbrasil10anos.org e construa conosco cidades mais sustentáveis em 2015!

EMBARQ Brasil - 10 Anos - EMBARQ Brasil - Vimeo.

 

Aqui & Agora – Edição 16 – Janeiro de 2015
Aqui & Agora é a newsletter mensal da EMBARQ Brasil.
Cadastre-se e receba diretamente por email.
Clique aqui para ler as outras edições.

Fique Ligado

Newsletter

Inscreva-se para receber a newsletter do WRI Brasil Cidades Sustentáveis.

Increver-se