PLAMUS

(Foto: Zé Paiva)

O Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis – PLAMUS é um estudo contratado pelo Governo do Estado de Santa Catarina, apoiado pelo BNDES, elaborado com o objetivo de propor soluções para a melhoria da mobilidade urbana em 13 municípios da Região Metropolitana de Florianópolis: Anitápolis, Rancho Queimado, São Bonifácio, Angelina, Águas Mornas, São Pedro de Alcântara, Santo Amaro da Imperatriz, Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos, São José e Palhoça, além da própria Florianópolis.

O estudo faz uma avaliação dos diversos elementos urbanos que afetam a mobilidade em cada cidade participante e orienta o desenvolvimento para a criação de cidades mais conectadas, que aproximem as pessoas de suas atividades cotidianas e, consequentemente, aumentam a qualidade de vida.

O WRI Brasil Cidades Sustentáveis é parceiro do projeto, sendo responsável pela Comunicação e Participação Social do mesmo. As ações de Comunicação incluem o desenvolvimento e a atualização estratégica dos canais de comunicação e de campanhas informativas e de engajamento junto ao público. Esses canais permitem uma interação facilitada entre população e responsáveis pela elaboração do PLAMUS.

O WRI Brasil Cidades Sustentáveis também está envolvido nas oficinas de Participação Social que estão sendo conduzidas ao longo de todo processo a fim de estabelecer um diálogo aberto e direto com a sociedade e com os demais atores envolvidos. O objetivo é oportunizar, por meio de uma metodologia consolidada, espaços de exposições e debates para a construção de um plano que contemple as necessidades reais dos cidadãos.

Histórico

O Governo de Santa Catarina começou a trabalhar no PLAMUS em dezembro de 2013, quando a SCPar, órgão do governo daquele estado, reuniu a sociedade civil e os diferentes líderes envolvidos na elaboração do PLAMUS para alinhar os primeiros passos para a construção de um plano de mobilidade urbana sustentável, integrado e participativo. O lançamento oficial do PLAMUS aconteceu em março de 2014.

Inicialmente, foram realizadas pesquisas de origem/destino com os frequentadores das praias da Grande Florianópolis a fim de traçar um cenário de amostragem e mapear os meios de transporte utilizados. Na segunda etapa, foram realizadas pesquisas domiciliares, com cinco mil entrevistas e seminários de participação popular para discutir os problemas da região e propostas para serem incorporadas ao plano.

Para saber mais, acesse o site oficial do PLAMUS

Fique Ligado

Newsletter

Inscreva-se para receber a newsletter do WRI Brasil Cidades Sustentáveis. Increver-se